1822             -                NAVIOS DE GUERRA BRASILEIROS            -               Hoje

 

F Liberal - F 43

Classe Niterói Mk 10

 

"Nosso barco, nossa alma"

 

"Lili"

 

"FLIBER"

 

 

D a t a s

 

Batimento de Quilha: 2 de maio de 1975
Lançamento: 7 de fevereiro de 1977
Incorporação: 18 de novembro de 1978

 

 

C a r a c t e r í s t i c a s

 

Deslocamento: 3.200 ton (padrão), 3.800 ton (carregado).
Dimensões: 129.2 m de comprimento, 13.5 m de boca e 5.9 m de calado.
Propulsão: CODOG (Combined Diesel or Gas) com 2 turbinas a gás Rolls-Royce Olympus TM3B 28.000 shp cada; 4 motores MTU 16V956 TB91 de 3.940 bhp cada, acoplados a dois eixos e dois hélices Escher-Wyss passo variável.

Eletricidade: 4 geradores diesel de 1.000 kw cada.

Velocidade: máxima de 30.5 nós.

Raio de ação: 1.300 milhas náuticas a 28 nós (turbinas Olympus) ou 4.200 a 19 nós (4 motores diesel).
Armamento: 2 reparos singelos do canhão Vickers Mk 8 de 4.5 polegadas/55 calibres (114mm); 2 reparos singelos do canhão Bofors L/70 de 40 mm; 4 lançadores de mísseis superfície-superfície MM 38 Exocet; 2 lançadores triplos de mísseis antiaéreos de defesa de ponto Sea Cat; um morteiro duplo do foguetes SR-375 BOROC de 375mm, 2 lançadores triplos STWS Mk 1 de torpedos A/S de 324mm
, 2 lançadores de foguetes Schermully e 2 lançadores de foguetes iluminativos Rocket Flare.
Sensores: 1 radar de vigilância aérea tipo Plessey AWS-2, com o IFF Mk 10; 1 radar de vigilância de superfície ZW-06;
agulhas giroscópicas Sperry Mk-19; 2 radares de direção de tiro Orion RTN-10X; MAGE FH-5 radiogoniometro HF D/F; Decca RDL-2/5 e CDL-160 radiogoniometro VHF; e sonar de casco EDO-610E.

Sistema de Dados Táticos: CAAIS, com Link 11.
Aeronaves: 1 helicóptero Westland SAH-11 Lynx.

Código Internacional de Chamada: PWLI

Tripulação: 209 homens, sendo 22 oficiais e 187 praças.

Obs: Características da época da incorporação.

 

 

H i s t ó r i c o

 

A Fragata Liberal - F 43, é o quarto navio a ostentar esse nome na Marinha do Brasil. A Liberal foi a quarta de uma série de 6 fragatas da classe Niterói ordenadas em 20 de setembro de 1970 como parte do Programa de Renovação e Ampliação de Meios Flutuantes da Marinha, e a quarta construída pela Vosper Thornycroft Ltd., em Woolston, Hampshire, Inglaterra. Teve sua quilha batida em 2 de maio de 1975, foi lançada e batizada em 7 de fevereiro de 1977. Depois de realizar as provas de mar, foi aceita e incorporada em 18 de novembro de 1978. Naquela ocasião, assumiu o comando, o Capitão-de-Mar-e-Guerra Hilton da Silva Sobrinho.

 

A oficialidade do recebimento da Liberal foi a seguinte:

 

     - CMG Hilton da Silva Sobrinho - Comandante
     - CF José Alberto Accioly Fragelli - Imediato
     - CC ? - CheMaq
     - CC ? - CheOpe
     - CC ? - CheArm
     - CT ?

     - CT ? - Enc.Div. Saúde
     - CT ?
     - CT ?
     - CT ?
     - CT ?
     - CT ?
     - CT ?
     - CT ?
     - CT ?
     - CT ?
     - CT ?
     - CT ?

 

1979

 

Em 13 de dezembro, embarcou na Liberal, o Exmo. Sr. Presidente da Republica João Baptista de Oliveira Figueiredo, acompanhado pelo Ministro da Marinha, Almirante-de-Esquadra Maximiano Eduardo da Silva Fonseca e demais autoridades, para assistir a Parada Naval em comemoração ao Dia do Marinheiro.

 

1980

 

Entre 7 e 28 de janeiro, participou da Comissão ASPIRANTEX/80, integrando a Força-Tarefa 10.1 comandada pelo Comandante em Chefe da Esquadra (ComenCh), Vice-Almirante Paulo de Bonoso Duarte Pinto. A FT era composta pelo NAeL Minas Gerais - A 11, CT Mariz e Barros - D 26, Alagoas - D 36, Santa Catarina - D 32, Maranhão - D 33, Sergipe - D 35, Rio Grande do Norte - D 37, S Goiás - S 15 e Tonelero - S 21 e o NT Marajó - G 27. Foram visitados os portos de Recife-PE, Fortaleza-CE, Salvador-BA e Vitória-ES.

 

1981

 

Em 23 de setembro, integrou um GT composto também pelo NAeL Minas Gerais - A 11 (capitânia), que realizou exercício no litoral do Rio de Janeiro, assistido pelos estagiários da Escola Superior de Guerra (ESG).

 

Entre 28 de setembro e 15 de outubro, participou da Operação FRATERNO III realizada em conjunto com navios da Armada Argentina. Além da Liberal, integravam o GT 100.2, sob o comando do Contra-Almirante Hugo Stoffel, ComForf, a F Niterói - F 40, os CT Sergipe - D 35 e Espírito Santo - D 38, o NT Marajó - G 27 e o S Goiás - S 15. O GT argentino era composto pelo CT ARA Hercules - D 1, as Cv ARA Drummond - P 1, ARA Guerrico - P 2 e ARA Granville - P 3 e o S ARA San Luis - S 32.

 

Em 16 de novembro suspendeu do Rio de Janeiro, integrando um GT sob o comando do ComForF, CA Hugo Stoffel, formado pelas F Niterói - F 40, Constituição - F 42, Liberal - F 43 e Independência - F 44 para realizar exercícios entre o Rio e São Paulo.

 

1982

 

Em abril participou da Operação SUL 82, integrando uma Força-Tarefa comandada pelo Vice-Almirante Hugo Stoffel. A FT era formada por dois Grupos-Tarefa, um composto pelas F Constituição - F 42, Liberal - F 43 e Independência - F 44 e pelos CT Mariz e Barros - D 26, Alagoas - D 36, Espírito Santo - D 38, Maranhão - D 33, e Rio Grande do Norte - D 37. Os navios retornaram ao Rio de Janeiro em 24 de abril. É interessante lembrar que nessa época se desenvolvia mais ao sul do continente a Guerra das Malvinas/Falklands.

 

Na segunda quinzena de maio, participou da Operação NORDESTEX 82, realizada no litoral do nordeste, sob o comando do VA Hugo Stoffel, ComForF. Também participaram as F Independência - F 44, Constituição - F 42 e Niterói - F 40, além de Navios-Varredores, Corvetas e aeronaves do COMAT - Comando Aerotático da FAB. Foram visitados os portos de Salvador-BA e Recife-PE.

 

1984

 

Entre 1º e 10 de outubro, participou da Operação FRATERNO VI realizada em conjunto com navios da Armada Argentina. Além da Liberal, integravam o GT brasileiro sob o comando do Chefe do Estado-Maior da Força de Contratorpedeiros, CMG Sergio Gitirana Chagasteles, a F Niterói - F 40, os CT Sergipe - D 35 e Espírito Santo - D 38 e o S Ceará - S 14, além de três helicópteros da ForAerNav. O GT argentino era composto pela F ARA Heroina - D 12, a Cv ARA Drummond - P 1 e o S ARA San Luis - S 32. Foi visitado o porto de Mar del Plata (Argentina).

 

1985

 

Em janeiro, integrou o GT que realizou a Operação TROPICALEX I/85, na área marítima entre os litorais de São Paulo e Pernambuco, sob o comando do Vice-Almirante Bernard David Blower, ComenCh. O GT era composto pelo NAeL Minas Gerais - A 11 (capitânia), pelas F Niterói - F 40 e Defensora - F 41, pelos CT Marcilio Dias - D 25, Santa Catarina - D 32, Maranhão - D 33, Rio Grande do Norte - D 37 e Espírito Santo - D 38, pelo NTrT Barroso Pereira - G 16 e pelo NT Marajó - G 27. Participaram como navios escoteiros os S Ceará - S 14 e Amazonas - S 16 e o NO Belmonte - G 24. Foram visitados os portos de Recife-PE, Cabedelo-PB, Maceió-AL, Salvador-BA, Vitória-ES e Santos-SP.

 

Em 27 de janeiro, em escala em Vitória durante a TROPICALEX I, recebeu pedido de SOS do POIT, zarpando com destino a Ilha da Trindade onde no dia 30 lançou seu He Lynx em missão aeromédica para evacuar um tripulante da ilha para o Hospital Evangélico de Vila Velha-ES.

 

Em 1985, tornou-se a primeira Fragata da classe Niterói a ser docada na ENRJ - Estação Naval do Rio de Janeiro, hoje Base Naval do Rio de Janeiro (BNRJ).

 

Em 28 de maio, zarpou do Rio de Janeiro em comissão ao exterior denominada HALIFAX 85, para realizar exercícios conjuntos com unidades da OTAN no Atlântico Norte, realizando escalas em Recife-PE, Cabo Orange (Guiana Francesa), San Juan (Puerto Rico), Hamilton (Bermudas), Halifax (Canadá), Fort Lauderdale-FL (EUA), Fortaleza-CE e Salvador-BA. No trecho Hamilton - Halifax esteve incorporada ao GT-800.1.

 

No final de julho, em Salvador integrou-se a um GT que realizava a Operação TROPICALEX II/85, retornando ao Rio de Janeiro em 2 de agosto.

 

Até 30 de agosto de 1985 a Liberal já tinha atingido as marcas expressivas de 495,0 dias de mar, 122.501 milhas navegadas, 95 comissões, 1118 pousos a bordo e uma comissão no exterior.

 

Entre 1º e 17 de dezembro, integrou o GT que realizou a Operação PINGÜIM, na área marítima entre o Rio de Janeiro e Rio Grande-RS. O GT era composto pelo NAeL Minas Gerais - A 11 (capitânia), pelas F Defensora – F 41, Constituição - F 42 e União - F 45, os CT Mato Grosso - D 34, Sergipe - D 35, Piauí - D 31, Rio Grande do Norte - D 37, Espírito Santo - D 38, Santa Catarina - D 32 e Alagoas - D 36, os S Amazonas - S 16, Tonelero - S 21 e Riachuelo - S 22, o NT Marajó - G 27, NSS Gastão Moutinho - K 10 e o NO Belmonte - G 24. Também participaram do exercício aeronaves da ForAerNav e da FAB.

 

Em 13 dezembro, esteve em Santos-SP integrando um GT composto pelo NAeL Minas Gerais - A 11 (capitânia), os CT Piauí - D 31, Sergipe - D 35 e Rio Grande do Norte - D 37, onde participou das comemorações do Dia do Marinheiro, presididas pelo ComemCh VA Hugo Stoffel.

 

1986

 

Foram substituídas as agulhas giroscópicas Sperry Mk-19 pelas Mk-29.

 

Em agosto, acompanhada do CT Mariz e Barros – D 26 participou da Operação VENBRAS/86 realizada em águas jurisdicionais da Venezuela. Pela Marinha Venezuelana participaram quatro fragatas classe Mariscal Sucre (Lupo), três FAC classe Constitución (Vosper 170), e o S ARV Caribe – S 32.

 

Em 22 de outubro, integrou um GT composto também pelo NAeL Minas Gerais - A 11 (capitânia) e pelo S Amazonas – S 16, que realizou exercício no litoral do Rio de Janeiro, assistido pelos estagiários da Escola Superior de Guerra (ESG).

 

Participou da Operação TROPICALEX-I/86 junto com o CT Alagoas - D 36, entre outros navios.

 

Realizando disparo de míssil Seacat durante a Operação TROPICALEX-I/86. (foto: SRPM, via Guilherme Wiltgen)

 

1987

 

Em 19 de maio, partiu do Rio de Janeiro, integrando um GT sob o comando do CA Mauro César Rodrigues Pereira, composto pelas F Niterói - F 40, Defensora – F 41, Independência – F 44 e União – F 45, que participou da Operação ADEREX II/87. Foi visitado o porto de Santos-SP.

 

Em 18 de julho, chegou a Base Naval de Roosevelt Roods (Porto Rico), dando inicio a participação da MB na Operação UNITAS XXVIII. Foi formada a Força-Tarefa 138, composta também pelos Contratorpedeiros USS Arthur W. Radford - DD 968, USS John King - DDG 3, Fragata USS De Wert - FFG 45, NDCC USS Barnstable County - LST 1197 e SNA USS Dace - SSN 607, pela U.S.Navy, e pelas Fragatas ARV General Urdaneta - F 23, ARV Mariscal Sucre - F 21 e ARV General Salom - F 25 e o Submarino ARV Sabalo - S 31. Nessa fase do exercício, realizado no Caribe, a Liberal realizou um lançamento real de torpedo A/S Mk 46 sobre alvo submarino. Além de Porto Rico, visitou Barbados. Depois dessa fase da Operação os navios venezuelanos retornaram ao seu pais seguindo a Liberal e os demais para Recife onde se juntaram a um Grupo-Tarefa composto pela F União - F 45, CT Rio Grande do Norte - D 37, CT Alagoas - D 36 e CT Mariz e Barros - D 26, NT Marajó - G 27 e o S Tonelero - S 21. Foram visitados os portos de Recife-PE, Salvador-BA e Montevideo (Uruguai).

 

1988

 

Entre 12 e 30 de setembro, participou da Operação FRATERNO X realizada em conjunto com navios da Armada Argentina. Além da Liberal, integravam o GT brasileiro a F Niterói - F 40, os CT Mariz e Barros - D 26 e Rio Grande do Norte - D 37 e o S Tonelero - S 21. O GT argentino era composto pelo CT ARA Hercules - D 1, as F ARA Almirante Brown - D 10 e ARA Heroina - D 12, as Cv ARA Drummond - P 1, ARA Espora - F 41 e o Aviso ARA Tenente Olivieri - A 2. Foram visitados os portos de Puerto Belgrano, Mar del Plata e Buenos Aires (Argentina).

 

Realizou Ciclo de Adestramento Completo, com o apoio do Centro e Apoio de Sistemas Navais (CASOP), recém estabelecido.

 

1989

 

Em 2 de março, participou das buscas e rebocou o B/P "Da Hora V" que estava sem máquinas e fazendo água a cerca de 70 milhas ao sul da Ponta de Joatinga, próximo a Ilha Grande. A Liberal, encontrava-se a 100 milhas do local do incidente quando foi acionada. Às 02:40h do dia 3 de março, entregou o reboque do Pesqueiro ao Rebocador "Servmar XVI", nas proximidades da Ilha Grande.

 

Entre agosto e setembro, participou da Operação UNITAS XXX integrando o GT brasileiro composto também pela F Independência - F 44, CT Marcilio Dias - D 25, Mariz e Barros - D 26 e Espírito Santo - D 38, o NT Marajó - G 27 e os S Goiás - S 15 e Amazonas - S 16. Também participaram desse exercício o GT argentino composto pela Cv ARA Guerrico - P 2, o GT uruguaio pelos CTE ROU 18 de Julio - DE 3 e ROU Artigas - DE 2, e o GT norte-americano, comandado pelo CA (USN) John R. Dalrymple, e composto pelos CT USS Briscoe - DD 977 e USS Richard E. Byrd - DDG 23, a F USS Jesse L. Brown - FF 1089, o NDCC USS Manitowoc - LST 1180 e o SNA USS Tinosa - SS 606.

 

Em outubro, participou de uma Parada Naval durante a Operação PRESIDENTEX, em homenagem ao Presidente da Republica, José Sarney, embarcado no NAeL Minas Gerais – A 11. Dessa Parada também participaram as F Niterói – F 40, Defensora – F 41, Constituição – F 42, Independência – F 44 e União – F 45; CT Maranhão – D 33, Mato Grosso – D 34, Sergipe – D 35, Alagoas – D 36, Rio Grande do Norte – D 37, Espírito Santo – D 38, Marcilio Dias – D 25 e Mariz e Barros – D 26; NTrT Custodio de Mello – G 20, Ary Parreiras – G 21 e Soares Dutra – G 22; NT Marajó – G 27; NE Brasil – U 27; NSS Gastão Moutinho – K 10 e os S Goiás – S 15 e Amazonas – S 16, que emergiram a bombordo do Minas Gerais.

 

1990

 

No dia do Aniversario da Força Aeronaval a Liberal, foi agraciada, pela terceira vez, com o Distintivo de Segurança de Aviação. Até essa data haviam sido realizados mais de 600 pousos a bordo.

 

Em junho, participou da Operação ADEREX-II/90, junto com as F Niterói - F 40, Constituição - F 42, Liberal - F 43 e Independência - F 44 e o S Tonelero - S 21, tendo visitado o porto de Vitória-ES.

 

Entre 17 e 26 de setembro, participou da Operação TEMPEREX-II/90, realizada na área marítima entre o Rio de Janeiro e São Paulo. A FT-98, sob o comando do ComemCh, VA Jelcias Baptista da Silva Castro, era composta também pelo NAeL Minas Gerais – A 11, F Niterói – F 40 e Defensora – F 41; CT Paraná – D 29, Sergipe – D 35 e Espírito Santo – D 38; NT Marajó – G 27; S Tonelero – S 21 e Amazonas – S 16, além da Cv Bahiana, helicópteros de vários esquadrões da ForAerNav e aviões P-16 do 1º GAE. Esteve em Santos dos dias 21 a 24.

 

1991

 

Em agosto, participou da Operação ADEREX III/91 junto com as F Defensora - F 41, Independência - F 44 e União - F 45, o S Bahia - S 12, o NDCC Duque de Caxias - G 26 e o RbAM Almirante Guillobel - R 25. Visitou o porto de Santos-SP entre os dias 23 e 25.

 

Em 30 de setembro, atingiu a marca de 1000 dias de mar.

 

Em cerimônia realizada na BAeNSPA, foi agraciada, pela quarta vez, com o Distintivo de Segurança de Aviação do ano de 1991, concedido pela DAerM.

 

Em 18 de novembro, completou 13 anos de serviço ativo.

 

Participou da Operação DRAGÃO, realizada no litoral de Santa Catarina, tendo inclusive controlado o lançamento de um Grupo de Comandos Anfíbios, lançados de um helicóptero Lynx por pára-quedas.

 

1992

 

Em março e abril, realizou viagem ao exterior, para participar da Operação CONTEX 922, junto com a F Independência - F 44. As duas fragatas, com helicópteros Lynx embarcados, fizeram parte do GT-443.4 formado também pelas Fragatas portuguesas NRP Corte Real - F 332, NRP Comandante Roberto Ivens - F 482, NRP João Roby - F 487 e NRP Baptista de Andrade - F 486, e o S NRP Albacora - S 163. Foram visitados os portos de Las Palmas (Ilhas Canárias), Lisboa (Portugal) e Recife-PE. O navio retornou ao Rio de Janeiro em 29 de abril, tendo feito 35,5 dias de mar e navegados 10.921.12 milhas náuticas.

 

Em junho, iniciou o seu quarto ciclo operativo, após uma Período de Manutenção Geral (PMG) de cerca de 11 meses.

 

1993

 

Após Experiência de Maquinas, Ciclo de Alinhamento, Vistoria de Segurança de Aviação (VSA) e PAD-CIASA, participou das comissões UNITAS XXXIV e ADEREX-II/93, visitando vários portos, entre eles Montevideo.

 

Participou da Operação TEMPEREX-II/93, junto com o NDD Ceará - G 30, Cv Jaceguai - V 31 e o S Tupi - S 30, entre outros navios.

 

Entre 2 e 5 de julho, esteve em Santos.

 

Entre 30 de julho e 2 de agosto, esteve em Santos, formando um GT junto com as F Niterói - F 40, Defensora - F 41 e Constituição - F 42 e o S Riachuelo - S 22.

 

1994

 

Em janeiro, participou da Operação ASPIRANTEX-SUL, integrando um Grupo-Tarefa sob o comando do CMG Carlos Afonso Pierantoni Gamboa, Chefe do Estado-Maior da Força de Submarinos, junto com o NDD Rio de Janeiro - G 31, a F Defensora - F 41, os CT Paraíba - D 28 e Espirito Santo - D 38, o S Humaitá - S 20 e o NT Marajó - G 27. Estavam embarcados, distribuidos nos navios, 170 Aspirantes da Escola Naval. Foram visitados os portos de Itajaí e Santos (21 a 24/01).

 

Em agosto e setembro, participou das comissões ALINHEX II/94 e ADEREX II/94, junto com as F Defensora - F 41, Constituição - F 42 e Independência - F 44, tendo visitado os portos de Santos-SP (01 a 05/09) e Salvador-BA.

 

1995

 

Em janeiro, participou da Comissão ASPIRANTEX/95, integrando uma Força-Tarefa composta pelo NAeL Minas Gerais - A 11, F Niterói - F 40, Defensora - F 41, Liberal - F 43, Independência - F 44, CT Pará - D 27, Paraíba - D 28, Rio Grande do Norte - D 37 e Espirito Santo - D 38 e o NO Belmonte - G 24, tendo visitado os portos de Santos-SP (20 a 23/01) e Vitória-ES.

 

A F Liberal - F 43, em Portsmouth, Inglaterra, em abril de 1995. (foto: Brian Fisher)

 

Em setembro participou de exercícios da Esquadra, sob o comando do ComemCh, VA Carlos Edmundo de Lacerda Freire, do qual tomaram parte o NAeL Minas Gerais – A 11 os CT Mariz e Barros – D 26, Pará – D 27, Paraíba – D 28 e Paraná – D 29, F Niterói – F 40, Liberal – F 43, Independência – F 44 e União – F 45, Cv Inhaúma – V 30 e Jaceguai – V 31, S Humaitá – S 20 e Riachuelo – S 22, NT Marajó – G 27 e o NA Trindade – U 16.

 

1996

 

Em 4 de março, foi criado o Comando do 1º Esquadrão de Fragatas (ComEsqdF-1) da Força de Superfície, ao qual passou a ser subordinada.

 

Em março, realizou adestramento no ambito da Esquadra com as F Niterói - F 40 e Constituição - F 42, os CT Paraná - D 29 e Mariz e Barros - D 26, as Cv Júlio de Noronha - V 32 e Frontin - V 33 e os S Tupí - S 30 e Tamoio - S 31. Visitou o porto de Santos-SP de 8 a 11/03.

 

Entre 22 e 29 de julho, participou da Operação ADEREX II/96, junto com as F Niterói - F 40 e União - F 45, o CT Mariz e Barros - D 26 e a Cv Frontin - V 33, sob o comando da 2ª Divisão da Esquadra. Visitou o porto de Santos entre os dias 26 e 29. Voltou a visitar Santos entre os dias 3 e 5 de agosto.

 

Em 18 de outubro, completou 18 anos de sua incorporação, tendo atingido, até essa data, a marca de 1.500 dias de mar.

 

Entre 17 e 22 de novembro, integrou o Grupo-Tarefa brasileiro que participou da Operação FRATERNO XVI, realizada em águas argentinas. Além da Liberal integravam o GT o NAel Minas Gerais - A 11 (capitania), o CT Mariz e Barros - D 26 e o S Tamoio - S 31 que se juntaram ao GT depois da ARAEX. Participaram desse exercício pela Armada Argentina a F ARA Almirante Brown - D 10, e as Cv ARA Spiro - F 43 e ARA Guerrico - F 32 e ARA San Juan - S 42.

 

1997

 

A F Liberal - F 43, dentro da Baia da Gunabara durante uma Operação UNITAS. Em segundo plano pode-se notar uma Fragata classe Oliver Hazerd Perry. (foto: U.S. Navy)

 

Entre 20 e 29 de abril, após 12 anos desde sua ultima edição, foi realizada no litoral do Ceará a Operação VENBRAS-97, que contou além da Liberal, com a participação do CT Paraíba - D 28 e do NPa Graúna - P 42, do Grupamento Naval do Nordeste. Pela Marinha da Venezuela participaram a F ARV General Salom - F 25 e o NDCC ARV Goajira - T 63.

 

Em 22 de agosto, em GT com a F Bosisio - F 48 e o S Tamoio - S 31, realizou exercícios de operações anti-submarino e anti-superfície, operações aéreas e passagem de carga leve no mar, operando ao sul da Ilha Rasa, para demonstrar um pouco das atividades da Esquadra para uma comissão de parlamentares que embarcou nesses navios.

 

Entre 15 e 19 de setembro, participou de exercícios combinados na âmbito da 1ª Divisão da Esquadra (Com1ªDiv), sob o comando do Contra-Almirante Rayder Alencar da Silveira, na área Rio-Vitória, com a F Niterói - F 40, a Cv Frontin - V 33, o CT Paraná - D 29 e mais um da classe Pará, o S Tamoio - S 31 e o NT Almirante Gastão Motta - G 23.

 

Em 15 de outubro, foi imobilizada, e docada para iniciar os trabalhos do Programa de Modernização - ModFrag.

 

Em 18 de novembro, completou 19 anos de sua incorporação a Marinha do Brasil.

 

1998

 

Em janeiro, recebeu a visita do Senador e ex-Presidente da Republica José Sarney.

 

Em 15 de outubro, o navio foi docado para ser submetido ao Período de Manutenção Geral (PMG), e junto o Programa de Modernização (ModFrag). Dentro do ModFrag a Liberal e a Defensora foram as únicas unidades da classe a receber o sistema de CME ET/SLQ-1A.

 

Apresentação com as principais modificações inseridas com o Programa ModFrag. (foto: EMGEPRON) A Liberal, assim como as outras Fragatas foi equipada com o sistema de CME ET/SLQ-1A depois de submetida ao ModFrag. (foto: IPqM) A Liberal, assim como as outras Fragatas foi equipada com o sistema de CME ET/SLQ-2X depois de submetida ao ModFrag. (foto: IPqM) Mock-Up do "novo" Centro de Operações de Combate instalado nas Niteróis durante o ModFrag. (foto: IPqM) A Liberal, assim como as outras Fragatas foi equipada com o SICONTA Mk-II depois de submetida ao ModFrag. (foto: IPqM) A Liberal, em desenho 3D mostrando como ficou depois de sua modernização. (desenho:  www.norb3d.com) A Liberal, em desenho 3D mostrando como ficou depois de sua modernização. (desenho:  www.norb3d.com) A Liberal, em desenho 3D mostrando o disparo de um míssil Aspide 2000. (desenho:  www.norb3d.com) A Liberal, em desenho 3D mostrando o disparo de um míssil Aspide 2000. A modelagem em 3D é aplicada na elaboração de cenários para simuladores. (desenho:  www.norb3d.com) Antena do radar RAN-20S, instalado na Fragata Liberal durante o ModFrag. (foto: Alenia) Aspecto de um dos displays instalado nas Niteróis durante o ModFrag. (foto: IPqM)

 

2000

 

Em julho, foi submetida a vistoria de Segurança de Aviação, pelo Serviço de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da Marinha (SIPAAerM).

 

2001

 

Em 31 de janeiro, passou a subordinação do Comando do 1º Esquadrão de Escolta (ComEsqdE-1), criado pelo Decreto n.º 3682 de 06/12/2000, o mesmo que extinguiu o ComEsqdF-1.

 

Em 16 de fevereiro, integrou o GT 802.1, composto pelo NAeL Minas Gerais - A 11 (capitânia), F Greenhalgh - F 46, Rademaker - F 49, CT Pernambuco - D 30 e a Cv Frontin - V 33, que participou da Operação ARRIVEX, a chegada do NAe São Paulo - A 12, ao Brasil.

 

A Fragata Liberal durante a Operação ARRIVEX em fevereiro de 2001. (foto: SRPM) A Fragata Liberal durante a Operação ARRIVEX em fevereiro de 2001. (foto: SRPM)

 

Entre 15 e 17 de fevereiro, realizou testes com foguete BOROC e chaffs de fabricação nacional. O teste de chaffs foi realizado em duas fases, a primeira com o apoio da Corveta Frontin e a segunda dos navios do GT da operação ARRIVEX.

 

Em abril, participou da Feira Internacional de Defesa - LAD 2001, realizada no Rio de Janeiro.

 

Em 23 e 24 de agosto, foram realizados testes preliminares de integração do SICONTA Mk-II. No dia 23, foi realizado um teste de integração entre o sonar EDO 997F, o SICONTA e o BOROC, e outro, da alça optrônica EOS-400, o SICONTA, o canhão Bofors Mk-3 de 40 mm e o canhão Vickers de 4.5". No dia 24, foi realizado o teste de integração do sonar EDO 997F, SICONTA e o torpedo Mk 46.

 

2002

 

Entre 31 de janeiro e 5 de fevereiro, realizou exercícios na área marítima entre o Rio de Janeiro e Santos-SP, compondo junto com o NDD Ceará - G 30, o GT 801.2, sob o Comando do ComEsqdE-1. No dia 4 realizou exercício operacional de tiro direto sobre alvo da Ilha de Alcatrazes, acompanhados, a bordo, pelo Ministro da Defesa (MD) Dr. Geraldo Quintão e o Chefe do Estado-Maior de Defesa (CEMD), Almirante-de-Esquadra José Alfredo Lourenço dos Santos.

 

Entre 19 e 22 de julho, visitou o porto de São Sebastião-SP, durante uma serie de exercícios realizados na Ilha de Alcatrazes.

 

2004

 

Em junho, faltavam ser reinstalar os módulos SLDM Chaff e o CME ET/SLQ-1A. A previsão para o termino dos trabalhos era então fevereiro de 2005.

 

Entre 10 e 13 de dezembro, visitou o porto de Santos-SP, participando das comemorações do Dia do Marinheiro.

 

A Liberal, atracada em Santos onde esteve entre 10 e 13 de dezembro de 2004. (foto: Rogério Cordeiro)

 

2005

 

Em 11 de março, retornou ao setor operativo junto com a F Independência, sendo entregue a Esquadra.

 

Entre 15 de agosto e 2 de setembro, participou da Operação ESQUADREX 05, sob o comando do VA Aurélio Ribeiro da Silva Filho, ComenCh e dos CA Antonio Alberto Marinho Nigro, ComForSup e Sergio Antonio da Conceição Freitas, ComDiv1Esq. Também estiveram presentes na comissão, o NDD Ceará – G 30, as F Defensora – F 41 (capitânia), Independência – F 44 e Rademaker – F 49, CT Pará – D 27, Cv Inhaúma – V 30, NT Marajó – G 27 e S Tapajó - S 33. Também participaram em apoio a operação os NPa Guaporé – P 45 e Gurupá – P 46. Depois de escalarem em Santos-SP entre os dias 19 e 22, a FT suspendeu para Vitória-ES. No retorno ao Rio de Janeiro, foram realizados exercícios de Controle de Área Marítima (CAMEX). Durante a Operação estiveram embarcados observadores da FAB e do EB, e na fase de CAMEX houve a participação de aeronaves P-95A/B Bandeirulha dos quatro Esquadrões do 7º GAv e R-99A do 2º/6º GAv.

 

A F Liberal, deixando o porto de Santos em 21 de agosto de 2005, após curta escala em um intervalo de exercicios no litoral de São Paulo. (foto: NGB - Marcelo M. Lopes da Silva - 21/08/05) A F Liberal, deixando o porto de Santos em 21 de agosto de 2005, após curta escala em um intervalo de exercicios no litoral de São Paulo. (foto: NGB - Marcelo M. Lopes da Silva - 21/08/05)

 

Entre 20 e 28 de setembro, integrando GT com as F Defensora - F 41 (capitânia), Independência - F 44 e Greenhalgh - F 46, o CT Pará - D 27, as Cv Inhaúma - V 30 e Jaceguai - V 31, o NT Marajó - G 27 e o S Tupi - S 30, participou da Operação MISSEX-05, quando foi afundado em alto-mar, ao largo da costa do Rio de Janeiro, o casco do ex-NTrT Soares Dutra - G 22, que depois de receber um míssil Exocet MM-40 disparado pela F Greenhalgh - F 46, disparos de canhão dos navios do GT, foi finalmente posto a pique por uma esquadrilha de caças A-1 AMX. Foi visitado o porto de Santos-SP.

 

A F Liberal - F 43, chegando a Santos para escala durante o intervalo da Operação MISSEX-05. (foto: NGB - Silvio Roberto Smera - 23/09/05) A F Liberal - F 43, em 3/4 de proa, chegando ao porto de Santos na manhã do dia 23 de setembro de 2005, no intervalo da Operação MISSEX 05. (foto: NGB - José da Silva) A F Liberal - F 43, de perfil, chegando ao porto de Santos na manhã do dia 23 de setembro de 2005, no intervalo da Operação MISSEX 05. (foto: NGB - José da Silva)

 

Entre 7 e 10 de outubro, esteve em Vitória-ES, junto com a F União - F 45.

 

Realizou PAD/CIASA.

 

Em 16 de outubro, participou da Parada Naval ao longo da orla do Rio de Janeiro, como parte das comemorações dos 183 anos da criação da Esquadra brasileira, junto com a F Rademaker – F 49, Bosísio – F 48, Niterói – F 40, Defensora – F 41 e Independência – F 44, as Cv Jaceguai – V 31, Júlio de Noronha – V 32, Frontin – V 33, e o CT Pará – D 27, além de vários helicópteros da ForAerNav.

 

2006

 

Em 29 de outubro, prestou apoio aos demais navios que participaram da UNITAS XLVII.

 

Em 11 de dezembro, recebeu o Troféu Operativo "Uno-Lima" de Operações Navais na Guerra Anti-Submarino, em cerimônia presidida pelo ComenCh, AE Aurélio Ribeiro da Silva Filho, pelo desempenho nos adestramentos de operações navais na guerra eletrônica, no decorrer do ano.

 

2007

 

Entre 29 de setembro e 1º de outubro, esteve no porto de Santos-SP.

 

A Liberal entrando em Santos-SP em 29 de setembro de 2007. (foto: Lauro Frangetto) Retornando ao Rio de Janeiro na manhã de 12 de dezembro de 2007. (foto: Edson Lucas)

 

2008

 

Entre 14 e 27 de janeiro, participou de parte da ASPIRANTEX 08.

 

Entre 18 e 23 de janeiro, esteve em Salvador-BA, onde participou das comemorações dos 200 Anos da Chegada da Família Real ao Brasil, inclusive participando da Parada Naval em Salvador, no dia 22, junto com as F Greenhalgh - F 46, Rademaker - F 49, Niterói - F 40, Defensora - F 41, NT Almirante Gastão Motta - G 23, NVe Cisne Branco - U 20, RbAM Triunfo - R 23, NPa Gravataí - P 51 e os Aratu - M 15, Anhatomirim - M 16 e Albardão - M 20. O evento contou com a participação do Governador do Estado da Bahia, Jaques Wagner, do Comandante de Operações Navais, Almirante-de-Esquadra Aurélio Ribeiro da Silva Filho e do Comandante do 2º Distrito Naval, Vice-Almirante Fernando Eduardo Studart Wiemer, entre outras autoridades civis e militares.

 

Em 27 de janeiro, participou do Desfile Naval, realizado de fronte a orla do Rio de Janeiro, comemorativo ao Bicentenário da Abertura dos Portos às Nações Amigas, junto com as F Niterói - F 40, Defensora - F 41, Independência - F 44, Greenhalgh - F 46 e Rademaker - F 49, NT Alte. Gastão Motta - G 23, RbAM Tridente - R 22, NPa Gurupi - P 47, NDCC Mattoso Maia - G 28, NHi Sirius - H 21, NHO Taurus - H 36 e o S Timbira - S 32, além do Navio Tanque "Pirajuí", da PETROBRAS, representando a Marinha Mercante.

 

Em 9 de maio, participou de Desfile Naval, realizado como parte das comemorações alusivas ao 200º Aniversário do Corpo de Fuzileiros Navais, junto com o NDCC Garcia D'Avila - G 29, a F  Bosísio - F 48, as Cv Júlio de Noronha - V 32 e Frontin - V 33, o NT Almirante Gastão Motta - G 23, o NSS Felinto Perry - K 11, o NHi Sirius - H 21, o S Tamoio - S 31 e o NPa Guaporé - P 45.

 

A Liberal participando da Parada Naval em comemoração aos 200 anos do Corpo de Fuzileiro Navais realizada em 9 de maio de 2008. (foto: CCSM) A tripulação da Liberal formada para foto durante a comissão realizada ao exterior em 2008. (foto: CCSM)

 

Em 15 de maio suspendeu do Rio de Janeiro para realizar comissão no exterior, seguindo para Lisboa (Portugal), visitando durante a travessia os portos de Fortaleza-CE e Las Palmas-Ilhas Canarias (Espanha).

 

Entre 17 e 27 de junho participou da Operação SWORDFISH 2008 que foi realizada na costa portuguesa. A operação contou com a participação das marinhas da Espanha, Canadá, Portugal e Marrocos e foi dividida em três fases. A primeira tinha por objetivo prover a integração e a interoperabilidade das unidades do GT, a segunda constou de exercícios como tiro sobre alvo rebocado; lançamento de míssil sobre casco; manobras táticas; reabastecimento no mar; interdição de área marítima; Grupo de Visita e Inspeção e Grupo de Presa (GVI/GP ou VBSS); exercícios de Defesa Anti-Aérea; ações de Superfície; ações Anti-Submarino; e defesa contra ameaças assimétricas e a terceira fase compreendeu um confronto de Forças com navios da OTAN que realizavam uma outra operação, a LOYAL MARINER-08. Visitou os portos de Lisboa e Funchal.

 

De 12 a 20 de julho, esteve em Natal, procedente de Funchal-Ilha da Madeira (Portugal), depois de participar da Operação SWORDFISH. Depois de reabastecer, receber suprimentos, e embarcarem o Contra-Almirante Carlos Alberto Guimarães de Almeida e Albuquerque, Comandante da 2ª Divisão da Esquadra com seu Estado-Maior, um Destacamento de Mergulhadores de Combate e Oficiais que comporão o Estado Maior Combinado na operação PANAMAX, o navio suspendeu para participar das Operações VENBRAS-08 e PANAMAX-08.

 

Uma aeronave Super Lynx do Esquadrão HA-1, realizando operações aéreas com a Fragata Liberal na tarde de 22 dde julho de 2008. (foto: Fragata Liberal, via Poder Naval OnLine) Uma aeronave Super Lynx do Esquadrão HA-1, realizando operações aéreas com a Fragata Liberal na tarde de 22 dde julho de 2008. (foto: Fragata Liberal, via Poder Naval OnLine) Uma aeronave Super Lynx do Esquadrão HA-1, realizando operações aéreas com a Fragata Liberal na tarde de 22 dde julho de 2008. (foto: Fragata Liberal, via Poder Naval OnLine) Uma aeronave Super Lynx do Esquadrão HA-1, realizando operações aéreas com a Fragata Liberal na tarde de 22 dde julho de 2008. (foto: Fragata Liberal, via Poder Naval OnLine) Uma aeronave Super Lynx do Esquadrão HA-1, realizando operações aéreas com a Fragata Liberal na tarde de 22 dde julho de 2008. (foto: Fragata Liberal, via Poder Naval OnLine)

 

Entre 27 de julho e 5 de agosto participou da Operação VENBRAS-08 com a Armada da Venezuela na costa desse país, integrando um GT comandado pelo Comandante da 2º DivE, CA Carlos Alberto Guimarães de Almeida e Albuquerque composto também por um destacamento de Mergulhadores de Combate e um Destacamento Aéreo com uma aeronave AH-11A Super Lynx embarcados no navio. O GT venezuelano era integrado pelas Fragatas ARBV Almirante Brion - F 22 e ARBV General Soublette - F 24 e os Navios-Patrulha ARBV Independencia - PC 13 e ARBV Patria - PC 15, além de uma aeronave AB-212. Foram visitados os portos de Guanta (27/30 de julho) e Pampatar-Ilha Marguerita, ambos na Venezuela.

 

Em 5 de agosto, o navio seguiu para Puerto Colón (Panamá).

 

As Fragatas Liberal - F 43 e ARBV Almirante Brión - F 22, da Armada da República Bolivariana da Venezuela, fundeadas na Baía de Pampatar, na Isla Margarita, durante a Operação VENBRAS 08. (foto: CCSM)

 

Entre 5 de agosto e 8 de setembro, participou da comissão PANAMAX-08, co-patrocinado pelo Comando Sul dos EUA e pelo Governo do Panamá. O exercício, que contou com a participação de forças militares e civis de 20 paises, incluindo 30 navios e 7000 homens, se realizou em águas do Panamá e em território de Honduras e El Salvador. Operou com o USS Tarawa - LHA 1, que realizava o seu ultimo exercício já que ira dar baixa do serviço na U.S. Navy no inicio de 2009, USS Forrest Sherman - DDG 98, USS Farragut - DDG 99 e USS Kauffman - FFG 59, esses três últimos pertencentes ao DESRON 40, alem dos Varredores USS Davastator - MCM 6 e USS Chief - MCM 14 e o Cutter de Médio Alcance USCGC Harriet Lane - WMEC 903. Foram visitados os portos de Belém-PA, Cólon (Panamá) e Curaçao (Antilhas Holandesas).

 

No período de 11 a 20 de setembro realizou a Patrulha Naval e Inspeção Naval nas águas jurisdicionais do 4º Distrito Naval, navegando 1.465,29 MN.

 

2009

 

No período de 8 a 31 de janeiro de 2009, participou da Operação ASPIRANTEX-09, realizada na área marítima compreendida entre o Rio de Janeiro e Fortaleza, que contou com a participação das F Niterói - F 40, Defensora - F 41 e Liberal - F 43, das Cv Inhaúma – V 30 e Jaceguai – V 31, do NDD Rio de Janeiro - G 31 e do NTrT Ary Parreiras - G 21. No retorno do nordeste esteve embarcado no navio o CA José Moraes Sinval Reis, Comandante da Forca de Superfície. Foram visitados os portos de Fortaleza-CE e Salvador-BA.

 

Entre 16 e 19 de fevereiro participou da comissão ADEFASEX-I/2009, com a F Constituição - F 42, que contou com o apoio do NT Almirante Gastão Motta – G 23. Foram realizados exercícios no mar na área marítima entre os litorais do Rio de Janeiro e São Paulo, que incluíram, fainas de reabastecimento no mar (TOM) e de Apoio de Fogo Naval (AFN) na Raia de Tiro Almirante Newton Braga de Faria, na Ilha de Alcatrazes-SP.

 

Em 1º de março realizou PASSEX com o Contratorpedeiro italiano ITS Andrea Doria - D 533 ao largo do Rio de Janeiro.

 

Entre 30 de março e 7 de abril, participou da Operação ADEREX-I/09, realizada na área marítima entre o Rio de Janeiro e Santos, junto com às F Liberal - F 43 (capitânia) e Bosisio - F 48; Cv Inhaúma - V 30, Jaceguai - V 31 e Frontin - V 33, NT Almirante Gastão Motta - G 23, S Tupi - S 30 e NSS Felinto Perry - K 11, além de aeronaves do 1º Esquadrão de Helicópteros de Esclarecimento e Ataque, dos 1º e 2º Esquadrões de Helicópteros de Emprego Geral, do 1º Esquadrão de Helicópteros Anti-Submarino e do 1º Esquadrão de Aviões de Interceptação e Ataque. Os navios formavam o GT-703.1, sob o comando do Comandante-em-Chefe da Esquadra, Vice-Almirante Fernando Eduardo Studart Wiemer. Também estavam embarcados o Contra-Almirante Ilques Barbosa Junior, Comandante da 2ª Divisão da Esquadra e o Contra-Almirante Dilermando Ribeiro Lima, Chefe do Estado-Maior da Esquadra. Foi visitado o porto de Santos-SP.

 

A Liberal entrando em Santos por ocasião da Operação ADEREX-09. (foto: NGB - Marcelo M. Lopes da Silva - 03/04/2009) A Liberal entrando em Santos por ocasião da Operação ADEREX-09. (foto: NGB - Marcelo M. Lopes da Silva - 03/04/2009) A Liberal entrando em Santos por ocasião da Operação ADEREX-09. (foto: NGB - Marcelo M. Lopes da Silva - 03/04/2009) A Liberal entrando em Santos por ocasião da Operação ADEREX-09. (foto: NGB - Marcelo M. Lopes da Silva - 03/04/2009) Detalhe da superestrutur de vante da  Liberal, com destaque para o callsign do navio. (foto: NGB - Marcelo M. Lopes da Silva - 03/04/2009) A Liberal entrando em Santos por ocasião da Operação ADEREX-09. (foto: NGB - Marcelo M. Lopes da Silva - 03/04/2009) A Liberal entrando em Santos por ocasião da Operação ADEREX-09. (foto: NGB - Marcelo M. Lopes da Silva - 03/04/2009) Detalhe da parte de vante da superestrutura da Liberal vista em 3/4 de ré (foto: NGB - Bruno Pricoli - 03/04/2009)

 

Em 25 de maio, suspendeu da Base Naval do Rio de Janeiro (BNRJ), com destino ao Chile, para participar da Comissão "TEAM WORK SOUTH-2009" (TWS-2009).

 

Em 31 de julho, atracou no Rio de Janeiro, depois de dois meses e seis dias de comissão no exterior, participando da TWS-2009, junto com unidades das Marinhas do Chile, Argentina, Estados Unidos da América (EUA), França e Inglaterra. Quando o navio suspendeu de Punta Arenas em 18 de julho, foi realizado um exercicio PASSEX com a Marinha do Chile. Foram visitados os portos de Rio Grande, Punta Arenas, Valparaiso, Mejillones e Iquique (Chile) e Montevideo (Uruguai).

 

A Liberal cruzando com uma Lancha de Ataque Rápido da Marinha do Chile durante a comissão TEAM WORK SOUTH 2009. (foto: CCSM)

 

Em 18 de agosto suspendeu do Rio de Janeiro, seguindo para o EUA para participar de comissão com a U.S.Navy.

 

Em 10 de setembro, com o navio atracado na Base Naval de Norfolk, recebeu a visita do Comandante da 2ª Esquadra da Marinha dos EUA, Vice-Almirante (USN) Mel Williams Jr. Além do passadiço, o Alte Willians Jr., conheceu o COC e o CCM do navio.

 

Entre 14 e 22 de setembro, participou do exercício JTFEX 09-4 (Joint Task Force Exercise), realizado na costa leste dos EUA, junto com navios da U.S. Navy e 13 outros navios de marinhas aliadas. Nessa oportunidade integrou o Grupo de Batalha do Navio-Aeródromo Harry S. Truman (HST CSG Carrier Strike Group) que realizou a certificação para seu próximo desdobramento além-mar (deployment).

 

Além da Liberal e do Harry S. Truman - CVN 75, com a Carrier Air Wing 3 embarcada, participaram o USS San Jacinto - CG 56, USS Hue City - CG 66,  USS Carney - DDG 64, USS Oscar Austin - DDG 79 e USS Winston S. Churchill - DDG 81, integrando o 26º Esquadrão de Contratorpedeiros; a F HMCS Fredericton - FFG 337 da Marinha do Canadá, o S ITS Scire - S 527 da Marinha da Itália, as F HNLMS Tromp - F 803 e HNLMS Van Speijk - F 828 da Marinha Real Holandesa. Reuniram-se a esses navios os integrantes do Standing NATO Mine Counter Measures Group 1, incluindo a NPOc HDMS Thetis - F 357 da Marinha Real da Dinamarca, CM BNS Lobelia - M 921 da Marinha da Bélgica, HNLMS Urk - M 861 da Marinha Real Holandesa, o ENS Sakala - M 314 da Marinha da Estônia e os NV HMS Quorn - M 41 da Marinha Real Inglesa e KNM Rauma - M 352 da Marinha Real da Noruega.

 

No retorno dos EUA o navio atracou em Fortaleza, onde embarcou o Comandante do 1ª Esquadrão de Escolta. A partir dai o navio formou GT com dois navios da Marinha da Venezuela para realizar a Operação VENBRAS 09, realizada no trecho Fortaleza-Rio de Janeiro.

 

Em 25 de outubro, retornou ao Rio de Janeiro, tendo completado 68 dias de comissão, sendo 45 dias de mar.

 

2010

 

Nos dias 9 e 10 de janeiro, na área marítima entre o Rio de Janeiro e o Espírito Santo, participou da Operação Villegagnon 2010 com os navios da Marinha Francesa. Além da Liberal, pelo lado brasileiro, também integravam o Grupo-Tarefa 701.2 da 2ª Divisão da Esquadra sob o comando do CA Ilques Barbosa Junior, a Cv Jaceguai - V 31 e o NT Almirante Gastão Motta - G 23 e aeronaves da ForAerNav. Pela Marine Nationale participaram o Navio-Escola Jeanne d’Arc - R 97 e a Fragata Courbet - F 712. Essa foi a 44ª e ultima VIGM do Jeanne d’Arc antes de sua baixa do serviço na Marine Nationale.

 

Participou da Operação ASPIRANTEX-10.

 

Entre 22 e 31 de janeiro, esteve em Santos-SP. No dia 23 deu a largada e acompanhou dentro da Baia de Santos mais de 100 embarcações que participaram da Regata realizada em comemoração aos 464 anos de Santos.

 

Em 1º de fevereiro a aeronave AH-11A Super Lynx N-4004, embarcada no navio, realizou um exercício de “cross deck” com o navio de apoio logístico argentino ARA Patagonia - B 1, a cerca de 100 milhas ao sul de São Sebastião-SP.

 

Em 19 e 20 de fevereiro, participou junto com a F Constituição - F 42 e o RbAM Almirante Guillobel - R 25, contando com o apoio dos mercantes "Hokuetsu Delight" e "Crystal Pioneer" vetorados por uma aeronave da FAB e sob a coordenação do SALVAMAR SUDESTE da operação de busca e resgate dos 64 naufragos do Veleiro "Concordia" que afundou a cerca de 300 milhas do litoral do Rio de Janeiro. O "Concordia", que pertencia ao Canada West Island College International partiu de Recife no dia 8 de fevereiro e tinha previsão de chegada a Montevideo no dia 23, afundando vitima do mau tempo.

 

Na manhã de 25 de fevereiro o helicoptero do navio resgatou o comandante do B/P "Playa de Ril" que apresentava problemas de saúde. O pesqueiro de bandeira espanhola encontrava-se a cerca de 2.500 km a sudeste de Cabo Frio-RJ.

 

Na manhã de 4 de março, participou junto com as F Niterói - F 40, Constituição - F 42 e Independência - F 44, a Cv Jaceguai - V 31, NHi Antares - H 40, NT Almirante Gastão Motta - G 23, RbAM Alte Guilhobel - R 25 e os S Timbira - S 32, Tapajó - S 33 e Tikuna - S 34, de uma Parada Naval no Rio de Janeiro, por ocasião da despedida do serviço ativo na Marinha do VA Álvaro Luiz Pinto (CEMA) e que contou com a presença do VA Eduardo Monteiro Lopes (ComemCh), ambos a bordo da F Liberal.

 

2011

 

No dia 3 de outubro suspendeu da BNRJ por volta das 09:00 da BNRJ, retornando no dia 7 e atracando por volta das 11:00h.

 

Em 10 de outubro, por volta das 11:00h, suspendeu da BNRJ retornando as 08:00h do dia 11.

 

Em 7 de novembro, suspendeu do AMRJ por volta das 08:00h retornando no mesmo dia por volta das 1800h.

 

Nos dias 2 e 3 de dezembro realizou operações ao largo do Rio de Janeiro, retornando a BNRJ.

 

Voltou a sair para o mar no dia 4 de dezembro, atracando no AMRJ quando retornou.

 

Em 12 de dezembro suspendeu da BNRJ por volta das 08:00h.

 

2012

 

Participou da Operação ASPIRANTEX-12 realizada entre 13 de janeiro e 1º de fevereiro na área marítima entre o Rio de Janeiro e os litorais argentino e uruguaio.

 

Participaram da Operação as F Niterói – F 40, Liberal – F 43 e Greenhalgh – F 46, as Cv Barroso – V 34 e Frontin – V 33, o NDCC Almirante Sabóia – G 25, o NT Almirante Gastão Motta – G 23 e o S Tamoio – S 31, integrando GT sob o comando do CA Carlos Augusto de Moura Resende, Comandante da 1ª Divisão da Esquadra.

 

O navio esteve em Rio Grande entre 19 e 23/01 e Paranaguá de 27 a 30/01.

 

Em 1º de fevereiro ao final da ASPIRANTEX-12 participou de um Desfile Naval, que ocorreu próximo da entrada da Baia da Guanabara, em homenagem ao Comandante de Operações Navais, Almirante-de-Esquadra Fernando Eduardo Studart Wiemer, que embarcou em 31 de janeiro em Itajaí-SC, realizando o trajeto até o Rio de Janeiro, no NDCC Almirante Sabóia. No navio já estavam embarcados o Comandante-em-Chefe da Esquadra, Vice-Almirante Wilson Barbosa Guerra, e o Chefe do Estado-Maior da Esquadra, Contra-Almirante Paulo Ricardo Médici.

 

No final da tarde de 10 de abril suspendeu da BNRJ para comissão internacional, seguindo para costa do Líbano aonde viria a substituir a fragata União em missão com a ONU integrando a Maritime Task Force (MTF) da UNIFIL. O navio escalou em Las Palmas, Ilhas Canarias (Espanha) e Taranto (Itália), com chegada prevista ao Libano para o dia 15 de maio e retorno da comissão em dezembro. O navio seguiu com 251 tripulantes, sendo 209 da guarnição, 14 do Destacamento Aéreo Embarcado, 9 do Destacamento de Mergulhadores de Combate e 19 fuzileiros navais do Grupo de Reação contra Ameaças Assimétricas (GRAA).

 

A Liberal suspendendo da Base Naval do Rio de Janeiro para o Líbano em 10 de abril de 2012. (foto: CCSM) Parte da tripulação da Lili formada no convôo durante a cerimônia de despedida do navio. (foto: CCSM)

 

Em 23 de abril chegou a Las Palmas-Ilhas Canárias (Espanha) atracando na Base Naval da Armada por volta das 10:30Z. Suspendeu no dia 26 de abril por volta das 10:00Z.

 

Em 15 de maio chegou a Beirute (Libano) e no dia 17 de maio assumiu as funções da F União - F 45.

 

Em 21 de junho, durante patrulha, esteve no porto de Mersin (Turquia), aonde, atracou por volta da 13:00h (UTC).

 

Em 3 de setembro realizou PASSEX com a fragata francesa Jean de Vienne - D 643 ao largo do Libano.

 

Em 15 de setembro depois de realizar mais uma patrulha ao largo da costa libanesa se dirigiu para a Turquia, atracando no porto de Mersin.

 

Em 5 de outubro suspendeu de Limassol (Chipre), retomando a patrulha e depois seguindo novamente para Beirute.

 

Em 7 de outubro, o Comandante da FTM-UNIFIL, Contra-Almirante Wagner Lopes de Moraes Zamith, recebeu, a bordo da Liberal, a visita do Assistente do Secretário-Geral da ONU para Operações de Paz, Sr. Edmond Mulet, acompanhado de seu Assessor, o Sr. Herve Lecoq, e de uma delegação composta por representantes do alto escalão da Direção da UNIFIL, como o Deputy Head of Mission, Sr. Milos Strugar; o Director of Mission Support, Sr. Girish Sinha; e o Chief-of-Staff, General Delort-Laval.

 

Realizou exercícios de transferência de carga leve com outros navios da FTM, dentre os quais a Corveta Sultan Hasanuddin - 367, da Marinha da Indonésia, a Corveta FGS Magdeburg – F 261 e o Navio-Patrulha FGS Gepard – P 6121, da Marinha Alemã.

 

No dia 12 de outubro, foi realizado um exercício de tiro denominado BLUE HURRICANE com a atuação de seis navios da Força-Tarefa Marítima (FTM). O exercício contou com a participação, como observadores, de autoridades da LAF (Forças Armadas Libanesas) e LAF-N (Marinha Libanesa), além de Oficiais e cadetes da LAF-N. Teve por objetivo incrementar a interoperabilidade entre os meios da FTM e contribuir para o adestramento dos militares envolvidos. Dentre as autoridades da LAF que embarcaram na Liberal para assistir ao exercício de tiro, destacam-se o Comandante do Setor ao Sul do Rio Litani, General-de-Brigada George Chraim, o Comandante da Marinha Libanesa, Capitão-Mar-e-Guerra Joseph Ghadban e os Coronéis Wassin Halabi e Assaad Abdallah.

 

Entre os dias 15 e 18 de outubro visitou o porto de Mersin (Turquia), onde foram realizadas visitas protocolares ao Prefeito e ao Governador da Província.

 

Em 8 de novembro realizou exercício de transferência de carga leve com a fragata turca TCG Kemalreis – F 247, que foi acompanhado pelo Comandante da FTM-UNIFIL, Contra-Almirante Wagner Lopes de Moraes Zamith.

 

2013

 

Em 13 de janeiro passou a função de capitânia da Força-Tarefa Marítima no Líbano (FTM-UNIFIL) para F Constituição – F 42, em cerimônia realizada em Beirute, que contou com a presença de oficiais lotados no Ministério da Defesa, em comitiva liderada pelo Chefe de Operações Conjuntas do MD, Brigadeiro Ricardo Machado Vieira.

 

Durante sua permanência na FTM-UNIFIL, a Liberal obteve expressivas marcas: interrogação de 661 navios na área de operações marítima; designação de 266 navios mercantes para inspeção pelas autoridades libanesas; realização de 120 dias de patrulha, 107 dos quais no comando das Operações de Interdição Marítima, perfazendo cerca de 20.030 milhas náuticas. Incluindo-se o período de preparação, de janeiro a abril de 2012, realizou 313 dias de mar, sendo 241 dias sob o comando da Organização das Nações Unidas.

 

Suspendeu de Beirute em 16 de janeiro e no mesmo dia realizou PASEX com a Fragata francesa Jean Bart – D 615, para Civitavecchia (Itália). Foram realizados exercícios de Helo Cross Deck, manobras táticas e Light-Line, além de visita do Comandante e de quatro Oficiais da Liberal à fragata francesa e do Imediato e quatro outros Oficiais da Jean Bart à fragata brasileira.

 

Entre 21 e 24 de janeiro, esteve em Civitavecchia (Itália) e entre ? de janeiro e 1º de fevereiro em Tenerife (Ilhas Canarias-Espanha).

 

Em 25 de janeiro, realizou uma PASSEX com a Fragata da Marinha canadense HMCS Toronto - FFH 333 ao sul da Ilha da Sardenha. Apesar das condições adversas de mar, foram realizados exercícios de leap frog, que consiste no posicionamento lateral de dois navios em movimento, sendo uma aproximação para cada navio, e Fotex (exercício onde os navios são dispostos para tirar uma foto da operação), conduzido pelo helicóptero CH-124 Sea King embarcado na fragata canadense.

 

Em 9 de fevereiro chegou ao porto de Natal-RN, primeiro porto brasileiro escalado no retorno, onde permaneceu até o dia 13, quando iniciou a última etapa da viagem, demandando o Rio de Janeiro, onde chegou no dia 17 de fevereiro, atracando na BNRJ.

 

A Liberal atracando no porto de Natal-RN, em 9 de fevereiro de 2013, retornando da comissão com a FTM-UNIFIL na costa do Líbano. (foto: Assessoria de Comunicação Social do 3ºDN)

 

Participou como capitânia da Operação ADEREX/2013, que foi realizada no período de 18 a 27 de março na área marítima compreendida entre os estados do Rio de Janeiro e São Paulo. Também tomaram parte no exercício a F Bosisio – F 48, o NT Marajo – G 27 e o S Timbira – S 32. Esteve no porto de Santos entre os dias 22 e 25 de março.

 

A Liberal entrando em Santos em 22 de março de 2013 durante um intervalo da Operação ADEREX/2013. (foto: Silvio Smera)

 

Participou da Operação TROPICALEX 2013, realizada entre os dias 2 e 27 de maio, na área marítima entre o Rio de Janeiro-RJ e Natal-RN. O Grupo-Tarefa encarregado da operação foi comandado pelo CA Flavio Soares Ferreira, Comandante da 1ª Divisão da Esquadra e os exercícios também foram acompanhados pelo VA Sergio Roberto Fernandes dos Santos, Comandante-em-Chefe da Esquadra, e o CA Paulo Cesar Mendes Biasoli, Comandante da 2ª Divisão da Esquadra, embarcado na Corveta Barroso.

 

Participaram em algum momento da operação, a F Liberal (capitania), a Cv Barroso, o NPaOc Amazonas, o NT Marajó, os S Timbira e Tikuna e os NPa Gurupi, Guaratuba e Guaíba, além de aeronaves AF-1 Skyhawk, da ForAerNav e P-3 AM Orion, P-95 Bandeirante Patrulha e A-1 AMX, da FAB.

 

Visitou o porto de Natal-RN entre os dias 10 e 13 de maio e Salvador-BA entre os dias ? e 16 de maio.

 

Chegando a Salvador em 13 de junho de 2013, durante as operações de apoio a segurança a Copa das Confederações da FIFA. (foto: CCSM)

 

Na primeira quinzena de julho participou da Operação ALBACORA AZUL, junto com a Cv Barroso e outros 9 navios, alem de aeronaves da ForAerNav e dois P-3AM Orion do 7º GAv da FAB. A operação que durou 10 dias efetuou patrulha na ZEE na área marítima do nordeste brasileiro com especial atenção para o entorno do Atol das Rocas, Fernando de Noronha e os arredores do arquipélago de São Pedro e São Paulo.

 

Entre 16 e 20 de dezembro esteve em Cabedelo-PB, de 27 e 29 de dezembro em Las Palmas (Ilhas Canarias - Espanha).

 

2014

 

Entre 3 e 6 de janeiro esteve em Civitavecchia (Italia).

 

Em 17 de janeiro substituiu a Fragata União, como navio capitânia da missão da Força Tarefa Marítima da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (FTM/UNIFIL). A cerimônia foi presidida pelo general italiano Paolo Serra, Comandante da UNIFIL e contou com a presença do embaixador do Brasil no Líbano, Affonso Massot, do comandante da FTM-UNIFIL, Almirante José de Andrade Bandeira Leandro, do Chefe de Operações Conjuntas do Ministério da Defesa (CHOC), Almirante Luiz Corrêa e dos comandantes da Marinha e do Exército do Líbano.

 

Em 4 de fevereiro esteve em Mersin (Turquia) e nos dias 7 e 8 de fevereiro esteve em Limassol (Chipre).

 

 

O u t r a s    F o t o s

 

A Fragata Liberal lançando um míssil MM-38 Exocet. Essa talvez seja foto mais famosa das fragatas da classe Niterói. (foto: SDM)A Fragata Liberal reabastecendo um SH-3 em vôo. (foto: SDM) A Fragata Liberal depois de submetida ao ModFrag. (foto: SRPM)A Fragata Liberal depois de submetida ao ModFrag. (foto: SRPM)A Liberal, em operação. (foto: SRPM) A Liberal, depois da modernização. (foto: SRPM, via José Henrique Mendes) A Liberal, em uma bela foto de perfil, mostrando a sua configuração de armamento e sistemas originais. (foto: SRPM, via José Henrique Mendes) A Liberal, atracada a contrabordo da F Constituição no AMRJ. (foto: Luiz Padilha) A Liberal, atracada no AMRJ. (foto: ALIDE - Luiz Padilha) Um dos conteiners de misseis MM-40 Exocet da Liberal. (foto: ALIDE - Luiz Padilha) Detalhe da popa da Liberal. É interessante notar que nas antigas unidades A/S modernizadas o lançador de Aspide ficou mais para ré. (foto: ALIDE - Luiz Padilha) A F Liberal - F 43, operando em alto mar. (foto: ?)A F Liberal - F 43, em comissão com a Esquadra. (foto: ?) Equipe de convés preparada para realizar faina de transferencia de carga e óleo no mar. (foto: F Liberal)

 

R e l a ç ã o    d e    C o m a n d a n t e s

 

Comandante Período
CMG Hilton da Silva Sobrinho 18/11/1978 a 20/05/1981
CMG Domingos Alfredo Silva 20/05/1981 a 02/03/1983
CMG Antonio Guimarães Dutra 02/03/1983 a 25/04/1984
CMG Sérgio Martins Ribeiro 25/04/1984 a 30/04/1986
CMG José Alberto Accioly Fragelli  30/04/1986 a 26/04/1988
CMG Antonio da Silva 26/04/1988 a 21/09/1989
CMG Ricardo Antonio da Veiga Cabral 21/09/1989 a 28/05/1991
CMG Oscar de Souza Spinola Neto 28/05/1991 a 16/06/1993
CMG José Eduardo Pimentel de Oliveira 16/06/1993 a 18/04/1995
CMG Celso Guimarães Lapa 18/04/1995 a 14/02/1997
CMG Wilson Barbosa Guerra 14/02/1997 a 17/07/1998
CMG Dimas Pinheiro da Silva 17/07/1998 a 20/07/2000
CMG Carlos A. Guimarães E. Albuquerque 20/07/2000 a 07/02/2002
CMG Juarez Alves Júnior 07/02/2002 a 30/01/2004
CF Petrônio Augusto Siqueira de Aguiar  30/01/2004 a 12/01/2006
CF Walter Nicolino Júnior 12/01/2006 a 11/01/2008
CF Flávio Haruo Mathuiy 11/01/2008 a 06/01/2010
CF Renato Garcia Arruda 06/01/2010 a 21/11/2011
CF José Luiz Ferreira Canela 21/11/2011 a __/__/201_

 

B i b l i o g r a f i a

 

- Baker III, A.D. Combat Fleets of the World 1998-1999. Annapolis, MD: Naval Institute Press, 1998.

 

- Mendonça, Mário F. e Vasconcelos, Alberto. Repositório de Nomes dos Navios da Esquadra Brasileira. 3ª edição. Rio de Janeiro. SDGM. 1959. p.163-164.

 

- NOMAR - Notícias da Marinha, Rio de Janeiro, SRPM, n.º 439, jan. 1980; n.º 459, set. 1981; n.º 460, out. 1981; n.º 467, mai. 1982; n.º 496, out. 1984; n.º 500, fev. 1985; n.º 502, abr./mai./jun. 1985; n.º 503, jul. 1985; n.º 506, out. 1985; n.º 509, jan. 1986; n.º 519, nov. 1986; n.º 520, dez. 1986; n.º 527, jul. 1987; n.º 531, nov. 1987; n.º 539b, jul. 1988; n.º 548, abr. 1989; n.º 555, nov. 1989; n.º 556, dez. 1989; n.º 564, ago. 1990; n.º 568, dez. 1990; n.º 569, jan. 1991; n.º 579, nov. 1991; n.º 582, fev. 1992; n.º 586, jun. 1992; n.º 613, fev. 1994; n.º 653, nov/dez 1996; n.º 654, jan 1997; n.º 660, jun. 1997; n.º 666, nov. 1997; n.º 668, dez. 1997; n.º 670, fev. 1998; n.º 711, jul. 2001; n.º 713, set. 2001; n.º 718 fev. 2002.

 

- NOMAR - Notícias da Marinha, Rio de Janeiro, CCSM, n.º 790, fev. 2008; n.º 796, ago. 2008.

 

- Revista Passadiço - Publicação do Centro de Adestramento Almirante Marques Leão. Niterói, Niterói, RJ, n.º 25, Ano XVIII - 2005; n.º 27, Ano XX - 2007.

 

- Revista Segurança & Defesa, N.º7, Rio de Janeiro, Contec Editora, 1985.

 

- Revista Força Aérea. Rio  de Janeiro, Action Editora, n.º23, jun./jul./ago. 2001.

 

- Revista Tecnologia & Defesa, São Paulo, Editora Aquarius, N.º 11, fevereiro de 1984; N.º 21, 1985.

 

- News from Commander, U.S. Naval Forces Southern Command - www.navy.mil/local/cusns/

 

- News from Commander, U.S. U.S. 2nd Fleet - www.navy.mil/local/c2f/, 09/11/2009

 

- News from USS Harry S. Truman (CVN 75) - www.navy.mil/local/cvn75/, 09/29/2009

 

- CCSM - Centro de Comunicação Social da Marinha.